Skip to Content

Movimentos lançam Frente Pró-Cotas para legitimar decisão do STF em SP

  • user warning: Table 'ranp3.scheduler' doesn't exist query: SELECT * FROM scheduler WHERE nid = 10766 in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/scheduler/scheduler.module on line 497.
  • warning: Parameter 2 to genericplayers_swftools_flashvars() expected to be a reference, value given in /data_cpro6462/ranp/public_html/includes/module.inc on line 476.
  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

Encontro ocorreu duas semanas após o STF declarar a constitucionalidade da reserva de vagas para negros no ensino superior. Atuação da Frente se dará por meio de pressão ao Parlamento e aos Conselhos Universitários.

Está faltando algum conteúdo do Flash que deveria aparecer aqui. Talvez seu navegador não possa exibi-lo. Instale a última versão do Flash em seu computador, ou atualize sua versão.

(1’34” / 368 Kb) - Pelo menos 40 organizações populares se reuniram nesta terça-feira (9)  e lançaram a Frente Pró-Cotas Raciais do Estado de São Paulo. O encontro ocorreu na Câmara dos Vereadores da capital, duas semanas após o Supremo Tribunal Federal (STF) declarar a constitucionalidade da reserva de vagas para negros em instituições públicas de ensino.

Segundo os organizadores, o objetivo é “unificar a pauta política das organizações do movimento social e negro e construir uma unidade pluripartidária, com o apoio de sindicatos e entidades da sociedade civil”.

A atuação da Frente se dará por meio da pressão ao Parlamento e aos Conselhos Universitários, a quem cabe decidir pela adoção de programas de ação afirmativa.

Logo após o encerramento da votação no STF (26/04), os reitores das três universidades estaduais paulistas (USP, UNESP e Unicamp) anunciaram que a decisão dos ministros não provocará nenhuma alteração em seus processos seletivos.

As primeiras ações do coletivo estão previstas para ocorrer na semana que antecede o Dia da Abolição, em 13 de maio. Entre elas, a Aula Pública desta quinta-feira (10), seguida de manifestação pelas ruas do centro de São Paulo. A concentração tem início às 17 horas, na Praça da Sé.

Outra proposta é cobrar a realização de uma Audiência Pública, convocada pela Assembleia Legislativa. Em todas as atividades serão colhidas assinaturas de apoio a um manifesto em defesa das ações afirmativas.

Entre outras organizações, participaram do lançamento da Frente a UNEafro Brasil; Instituto Luís Gama; Círculo Palmarino; CONEN; INSPIR; UNEGRO; CONDEPE; Quilombagem; Levante Popular da Juventude; Anel; Rede Emancipa; Conselho Estadual da Comunidade Negra; SOS Racismo; Fórum de Esquerda; Comitê Contra o Genocídio da Juventude Negra; professores e estudantes universitários; e representantes de conselhos municipais e mandatos parlamentares.

De São Paulo, da Radioagência NP, Jorge Américo.

09/05/12