Skip to Content

Órgão da ONU apoia programa Mais Médicos

  • warning: Parameter 2 to genericplayers_swftools_flashvars() expected to be a reference, value given in /data_cpro6462/ranp/public_html/includes/module.inc on line 476.
  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

Organização Pan-Americana da Saúde afirma que outros países obtiveram bons resultados com projetos semelhantes. Para o órgão, o Brasil acerta nas iniciativas de levar médicos para comunidades afastadas.

Está faltando algum conteúdo do Flash que deveria aparecer aqui. Talvez seu navegador não possa exibi-lo. Instale a última versão do Flash em seu computador, ou atualize sua versão.

maismedicos(1’15” / 295 Kb) - A Organização Pan-Americana da Saúde, ligada à Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), no Brasil informou que está acompanhando os debates nacionais sobre a situação da saúde no país. O órgão anunciou que vê com entusiasmo as recentes declarações do governo federal sobre o programa “Mais Médicos”.

Segundo a OPAS/OMS, as últimas medidas apresentadas são coerentes com resoluções e recomendações da Organização sobre cobertura universal em saúde. Além do fortalecimento da atenção básica e primária no setor de saúde e equidade na atenção à saúde da população.

Para o órgão ligado à ONU, o Brasil acerta nas iniciativas de levar médicos, em curto prazo, para comunidades afastadas. Também de criar, a médio prazo, novas faculdades de Medicina e ampliar o número de estudantes em regiões deficientes, uma vez que países com esses mesmos problemas já colhem resultados da implantação dessas medidas.

A Organização também afirma que, a longo prazo, a atuação dos estudantes de Medicina no SUS (Sistema Único de Saúde) por dois anos deve garantir, juntamente com o crescimento do sistema e outras medidas, maior equidade na saúde pública do país.

De São Paulo, da Radioagência NP, com notícia do Opera Mundi, Vivian Fernandes.

24/07/13

Foto: Divulgação