Skip to Content

Quilombola foi assassinado por policiais no sul da Bahia, denunciam moradores

  • user warning: Table 'ranp3.scheduler' doesn't exist query: SELECT * FROM scheduler WHERE nid = 9951 in /data/ranp/public_html/sites/all/modules/scheduler/scheduler.module on line 497.
  • warning: Parameter 2 to genericplayers_swftools_flashvars() expected to be a reference, value given in /data/ranp/public_html/includes/module.inc on line 476.

Está faltando algum conteúdo do Flash que deveria aparecer aqui. Talvez seu navegador não possa exibi-lo. Instale a última versão do Flash em seu computador, ou atualize sua versão.

(1’29” / 348 Kb)  –  O quilombola Diogo de Oliveira Flozina foi assassinado por policiais na cidade de Caravelas, litoral sul da Bahia.  A denúncia é dos moradores locais que não quiseram se identificar por medo de retaliações. O caso ocorreu no Quilombo de Volta Miúda, no final do mês de junho. A vítima tinha 27 anos e era pai de dois filhos.

A comunidade alega que sofre ameaças de policiais e empresas produtoras de eucaliptos, que têm interesse na área. De acordo com relatos divulgados pela Rede Mocambos – formada por ativistas da causa negra –, o jovem quilombola teve sua casa invadida e foi morto por três policiais à paisana.

Uma viatura teria ido até o local para buscar o corpo, que primeiro foi levado ao município vizinho de Nova Viçosa – local que possui denúncias de tráfico de drogas – e, depois, encaminhado para o hospital de Teixeira de Freitas. No boletim de ocorrência consta que o rapaz era traficante e que acabou morrendo após troca de tiros com policiais em uma “boca de fumo”.

Um adolescente de 15 anos também teria sido vítima de violência policial, com espancamento e ameaça de morte, por tentar se aproximar da casa onde o outro jovem estava com os policiais.

A comunidade aponta que Diogo foi assassinado por produzir carvão para subsistência de sua família. Isso estaria incomodando as empresas de eucalipto. Os quilombolas pedem proteção e assistência do poder público. Além do Volta Miúda, mais sete quilombos existem na região.

De São Paulo, da Radioagência NP, Vivian Fernandes.

12/07/11