Skip to Content

Família de Jean Charles e entidades de Direitos Humanos lançam campanha em Londres

  • strict warning: Non-static method view::load() should not be called statically in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/views.module on line 906.
  • strict warning: Declaration of views_handler_argument::init() should be compatible with views_handler::init(&$view, $options) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/handlers/views_handler_argument.inc on line 744.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_validate() should be compatible with views_plugin::options_validate(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.
  • strict warning: Declaration of views_plugin_row::options_submit() should be compatible with views_plugin::options_submit(&$form, &$form_state) in /data_cpro6462/ranp/public_html/sites/all/modules/views/plugins/views_plugin_row.inc on line 134.

Clique aqui para ouvir (1´01´´/ 245Kb) - Os familiares do eletricista brasileiro Jean Charles de Menezes, assassinado pela polícia britânica em julho deste ano com sete tiros na cabeça, divulgaram nesta semana uma campanha para pedir a punição dos responsáveis pelo crime e estimular o interesse público sobre o caso.

A campanha – intitulada “Justiça para Jean” - foi organizada pelos pais e pelo irmão do brasileiro morto e conta com o apoio da organização humanitária Anistia Internacional. Militantes do mundo todo que lutam para punir atos criminosos praticados pela polícia contra inocentes também participam da ação.

Depois de visitarem o Parlamento britânico, a família Menezes retornará ao Brasil nesta quarta-feira (12). A investigação sobre a morte de Jean deve durar até dezembro, e só depois de concluída é que o julgamento deverá acontecer.

Um jornal britânico noticiou, na semana passada, que há a possibilidade de indiciamento por homicídio culposo da policial que comandou a operação do metrô.

Jean Charles tinha 27 anos e foi morto em uma estação de metrô no sul de Londres, após ter sido confundido com um terrorista.

De Brasília, da Agência Notícias do Planalto, Sofia Prestes.